Fascite plantar: A tradicional (e chata!) dor na sola do pé

Fascite plantar: A tradicional (e chata!) dor na sola do pé

Saiba as causas, os tratamentos e como prevenir a lesão

Se você sente dores na sola do pé e no calcanhar, saiba que isso pode ser a fascite plantar. Esse desconforto muito comum afeta o local de inserção dos ligamentos no osso e que pode ter inflamação.

De acordo com o doutor Gustavo Gimenes – médico pela Universidade do Oeste Paulista –, alguns fatores podem levar à contusão. “A fascite plantar é frequentemente causada pela lesão por esforço repetitivo da fáscia plantar, que se intensifica com exercício físico, peso ou idade”, diz o especialista.

Sintomas e causas da fascite plantar

A fascite plantar causa dor e rigidez na parte inferior do pé e na parte de trás do calcanhar, causando dificuldade ao elevar o pé em direção à canela – seja na corrida ou na caminhada. É comum que apareça em uma atividade física que exija muito esforço, sendo comum em atletas e esportistas ou até mesmo para quem caminha longos trajetos. Estar acima do peso também pode causar problemas na região.

O médico alerta para possível agravamento caso a enferme não seja tratada: “Se a fáscia plantar continuar a ser sobrecarregada sem tratamento adequado, ela pode sofrer ruptura cujo diagnostico é caracterizado por um som de clique ou estalo, um significativo inchaço local e dor aguda na sola dos pés”.

Prevenção e tratamento

Existem diferentes formas de evitar a fascite plantar, como o alongamento antes das atividades físicas. O fortalecimento do arco do pé também é indicado para a prevenção da lesão. Sempre busque praticar exercícios sem exageros para que os pés não fiquem sobrecarregados e, claro, consulte um especialista para indicar os melhores exercícios para trabalhar esta região.

Para o tratamento é preciso identificar a causa da fascite plantar. Assim que algum desconforto surgir, um médico deverá ser procurado. O tratamento consiste em repouso, exercícios de alongamento, fortalecimento muscular, fisioterapia e anti-inflamatórios indicados por um especialista.

Gimenes alerta  para lesões mais sérias: “Em casos mais graves, as injeções de corticosteroides podem ser indicadas e como ultimo recurso a cirurgia”, salienta.

Voltar para o blog